Decore usando seus 5 sentidos

Postado por: Manu Mitre
09 de July de 2013

Outro dia fui me encontrar com uma leitora super especial aqui do blog – a Juliana Amado. Ela está sempre por aqui, tem um blog sobre as artes que ela faz em casa, participou do nosso Workshop Online e até já fez post convidado aqui no blog contando da decoração da lavanderia dela, lembram? Dessas amizades que a gente vai cultivando pela internet e um dia sai da tela do computador e vira real, sabe? Delícia de encontro!

casa de amado

E como é diferente ver uma pessoa ao vivo, poder encostar, olhar no olho, conversar, né? E justo nesse momento de transformar um relacionamento virtual em algo real, nosso papo ainda foi por um caminho super interessante – a importância dos 5 sentidos na nossa vida. Os nossos sentidos são nossa ponte para o mundo. É através deles que percebemos nosso entorno e interagimos com ele. Viver somente dentro da nossa cabeça seria solitário demais, precisamos dessa conexão como precisamos de comida e água. Saber se é dia ou noite, se faz frio ou calor, ouvir o movimento das ondas ou os rugidos de um trovão, sentir o cheiro de mato ou da fumaça do caminhão, experimentar o doce e o amargo, despertar sentimentos a partir dessas sensações físicas – isso é viver.

E nós também interagimos com a nossa casa usando todos os sentidos. Sim, todos! Um ambiente sensorial nos provoca e enriquece nossa experiência, nos envolve, cria e recupera lembranças e vínculos, nos conecta com o mundo. Por isso é tão importante pensarmos em como vamos estimular (ou não) cada um de nossos sentidos no nosso ambiente. E isso parte do conceito, da mensagem que você quer transmitir em cada ambiente ou situação, das referências que quer usar, das lembranças que quer cultivar.

1 – A visão

Na nossa casa ela é o que há de mais óbvio. Nossos olhos reparam nas cores, nos formatos, na distribuição de móveis e objetos, na ocupação de espaços vazios e cheios, nas estampas e imagens, brilhos e transparências que usamos. Parece que isso já envolve tudo, não é? Mas é aí que está o pulo do gato – isso é só o começo.

2 – A audição

Quem mora em uma rua movimentada está acostumado com o barulho dos carros e quem mora no campo acorda com o galo cantando. Quando o vizinho resolve fazer aquela balada e a gente precisa descansar, dá vontade de sumir. É um fato que sons externos, sob os quais temos pouco ou nenhum poder, invadem nossa casa e, por isso, fazem parte dela e têm uma influência direta no nosso bem estar. Podemos instalar janelas anti-ruído para isolar o barulho de avião ou ligar um ventilador para ter aquele zumbido constante que disfarça o que vem de fora se isso nos incomoda. Ou nos apoderar desses sons se eles puderem viver em harmonia com o conceito da nossa casa. Tem gente que vive com a TV ligada sem nem saber o programa que está passando, há quem encha a casa de música, variando de acordo com o humor do dia, e também quem adore o tilintar de um mensageiro dos ventos na varanda. Os sons ajudam a criar o clima que desejamos, seja ele qual for, e podem trazer lembranças e sensações que vão complementar o seu projeto.

barulho de água em casa

3 – O olfato

Quem não reconhece o cheiro da casa da avó? O olfato tem um poder inacreditável de despertar nossa memória, de nos transportar para um lugar ou situação tão distantes quanto antigas. Pense no cheiro de madeira, de pele ou de couro natural, das ervas que plantamos na horta, das flores em cima da mesa, do incenso, da vela ou do perfuminho que deixamos no banheiro, até do produto de limpeza que usamos. Cheiro dos nossos bichos de estimação, do bolo que acaba de ficar pronto, da roupa limpa no varal, da fumaça que o caminhão acaba de jogar na rua – tudo nos remete a algum sentimento, alguma memória. Um banho do aroma de uma dama da noite na porta da minha casa teria um efeito tranquilizador imediato para quando eu chegasse cansada no fim do dia. Eu fecharia os olhos, respiraria fundo e abriria um sorriso de “ai, que delícia que é chegar em casa”. Qual cheiro provocaria isso em você?

4 – O paladar

Joãozinho e Maria não se deliciaram na casa toda feita de doces da bruxa? Por que não podemos fazer nossa casa irresistível também? Comer e beber fazem parte de qualquer encontro social, pode reparar. Uma cerveja pra fofocar com os amigos, um amendoim pra jogar conversa fora, uma pipoca para assisitir a um filme. É como se o paladar fizesse parte das nossas relações pessoais. Convide-se a provar sabores cheios de significados na sua casa e se relacione com ela também. Envolva seus amigos nas lembranças de infância com uma bala chita, ou provoque-os com uma bala azeda. Tem dia que é de fondue e vinho e dia que é de torresmo e cachaça, ou de pipoca com guaraná. Que sabores você quer sentir em casa? Deixe essas provocações à mostra e de fácil acesso, integre-as à decoração, os sabores também carregam significado, portanto são ferramentas muito úteis para te ajudar a criar o clima que você procura.

decoração com filtro de barro

5 – O tato

Responsável por sentir a temperatura, o vento, o carinho e a dor, às vezes negligenciamos a importância do tato associando-o somente às nossas mãos. Pés descalços sentem o chão frio ou as cócegas do tapete, o corpo cansado se delicia no sofá macio e relaxa no banho quente, a cabeça finalmente descansa na paz do travesseiro e no abraço do edredon. Usamos o corpo inteiro, o tempo todo, para interagir com o ambiente. Um banho na banheira de hidromassagem é diferente de um banho de chuveiro ou em um ofurô, não é só uma questão do que fica mais bonito. Um sofá de couro e com uma espuma mais dura vai te dar um conforto bem diferente de um pufe de lycra recheado de bolinhas de isopor. As texturas dos materiais têm uma responsabilidade enorme sobre a forma que percebemos o ambiente e nos sentimos nele e, por isso, a simples escolha entre um linho e uma sarja não é puramente estética. Qual a sensação que você quer ter ao sentir esse material?

piscina de bolinha na decoração

“Uma casa não é um lar a menos que contenha alimento e fogo para a mente assim como para o corpo.”

Benjamin Franklin

Imagens: 12, 3

Categorias: Curso de Decoração Online, Decoração, Destaques do Mês, Inspiração, Jardim
Veja Também

5 Dicas para um corredor bacana

Postado por: Manu Mitre
04 de July de 2013

Ninguém para pra pensar na decoração do corredor, vamos falar a verdade. Pinta tudo de branco, taca um plafon no teto e boa. “Ah, é só um lugar de passagem”, “ninguém fica muito tempo, nem dá pra reparar em nada”.

Será? Ter um corredor significa que você tem que passar por ele cada vez que vai ao banheiro, passa de um quarto para o outro, ao ir pra cama dormir e logo ao levantar para tomar seu café da manhã. É bastante interação. Mas é sempre super rápida, o que significa que você pode ousar um pouco mais. E se ele conecta ambientes importantes da sua casa, ele também deveria ser importante, portanto merece um cuidado, concorda?

decorar corredor

Hoje dou 5 dicas para você analisar seu corredor com outro olhar e tentar encontrar novas alternativas para que ele possa ser bem funcional mas também ter a sua cara. Conta pra mim se você não vai ficar mais inpirado pra cuidar desse cantinho com mais carinho.

1) Aproveite o espaço – Mesmo nos corredores mais apertados podem caber móveis de uma profundidade menor, bons para guardar as nossas miudezas do dia a dia – chaves, carteira, canetas, correspondência, pilhas, adaptadores de tomada e carregadores de celular, só para citar alguns exemplos. Tem até sapateiras que ocupam pouquíssimo espaço. Para quem tem muito livro, uma estante ajuda a resolver o problema de falta de espaço. Ganchos podem pendurar bolsas e casacos e aqueles cantinhos inúteis no fim do corredor podem ganhar armários.

2) Cubra as paredes de personalidade – Tem medo de pintar a parede da sala? Comece pelo corredor como um teste e um aprendizado. Aproveite para expor sua coleção, suas fotos e quadros, a arte dos filhos, vale tudo!

3) Capriche na iluminação – Além de evitar tropeços no dia a dia, um bom projeto de iluminação pode te ajudar a trazer os mais variados efeitos, criar climas e mudar a cara do ambiente sem muito esforço.

4) Crie um ponto focal interessante – Pode ser um móvel especial, um espelho, um quadro diferente ou uma porta colorida que chame a atenção. A cada vez que você entrar no corredor, esse ponto vai te atrair, distrair o seu olhar, te chamar pra perto.

5) Lembre-se que o teto é sempre uma alternativa – A gente sempre esquece desse pobrezinho, mas ele pode fazer toda a diferença com uma pintura colorida, um papel de parede, um revestimento ou instalação bacanas, ou mesmo com um projeto legal de iluminação.

organizar corredor

cor de parede para corredor

dicas para decoração de corredor

Com um corredor bacana, você vai perceber que ele fazia muito mais parte da sua vida do que você imaginava ;-)

Imagens: 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9, 10, 11, 12, 13, 14, 15, 16

Categorias: Cores na Decoração, Decoração, Estante, Inspiração, Parede, Quadro
Veja Também

Pouco espaço? Use a criatividade!

Postado por: Débora Foresti
20 de June de 2013
Gente, eu achei esse projeto o máximo e resolvi compartilhar com vocês num post rápido.
sala que vira quarto
Aqui o vídeo do morador mostrando como tudo funciona: 8 ambientes em 40 metros quadrados
O dono desse apartamento no Soho, em Nova York é o fundador do site treehugger.com, que é um portal com várias dicas e notícias ligadas à sustentabilidade, etc. Apesar do apartamento ter apenas 40m2, as soluções de aproveitamento desse espaço são super interessantes. Ele anunciou no seu site que gostaria de ideias de projetos e acabou recebendo milhares de sugestões. Os vencedores foram dois estudantes da Romênia, que fizeram todo o projeto.
Ele começa mostrando o escritório e diz que é um fã da standing desk, ou seja, de usar a mesa de trabalho estando de pé. A própria gaveta (onde ele guarda o teclado e o mouse sem fio) já se transforma na superfície da mesa.
mesa de trabalho
A cama atrás do sofá (o qual, por sua vez, é um tipo de um baú) já é uma solução antiga, mas nesse caso o que me chamou a atenção foi o pé da cama, que é uma prateleira. Um telão e os alto falantes são embutidos no teto, junto com todos os fios, etc. Todo o espaço que sobra é aproveitado para armários que vão do chão ao teto.
loft com cama embutida
No banheiro, a divisão de espaços respeitou diferentes funções: o sanitário fica num cubículo fechado com porta. Já que em um apartamento tão pequeno uma das maiores questões é a acústica, ele defende que esse cubículo serve para fazer ligações particulares quando o outro estiver dormindo. A parede onde está o computador pode ser puxada e transforma-se em um quarto de hóspedes com um beliche e armários! Uma cortina garante privacidade.
beliche embutida no armario
Na cozinha, o que eu achei super interessante foi a mesa montável que está embutida no móvel que forma a pia. Ela quase não ocupa espaço quando fechada e se transforma em uma mega mesa de jantar com nada menos que 10 lugares! Vejam a montagem da mesa aqui.
mesa montavel
Na cozinha, propriamente dita, tudo é embutido. Até o fogão é desmontável e guardado em gavetas – assim ganha-se superfície livre. E o forno tem dupla funcionalidade: convencional e microondas. As baterias dos aparelhos eletrônicos são carregadas através de plugues que se conectam às placas que captam energia solar.
A palavra-chave aqui acho que é trilho. Tudo desliza, tudo é guardado em gavetas, armários e nichos para que o apartamento não fique entulhado. Tudo feito sob medida em ótima marcenaria, mas com um excelente projeto antes.
E aí, gente? Me digam o que vocês acharam! É claro que é bem específico para esse cara, mas dá pra tirar várias ideias legais, hein?
Fonte: Gizmodo
Categorias: Armário, Arquitetura, Banheiro, Cama, Cozinha, Decoração, Estante, Home Office, Inspiração, Quarto, Sala de Estar
Veja Também

A lavanderia da Ju

Postado por: Manu Mitre
17 de June de 2013
Hoje temos uma convidada especial por aqui: a Ju! Ela tem um blog super bacana, o Casa de Amados e participou do nosso Workshop Online de Decoração com um desafio: decorar a lavanderia suuuuuper apertada do apartamento dela. Hoje ela veio aqui contar pra vocês um pouco sobre as mudanças que já fez e o que aprendeu com isso. Inspire-se no clima e nas soluções que ela criou: simples e baratas, mas que fizeram toda a diferença. Graças a um conceito que fazia todo o sentido pra ela.
POR JULIANA AMADO

Quem acompanha o meu blog já deve ter percebido que o que eu mais gosto na decoração é o faça-você-mesmo e de objetos que tenham história ou que identifiquem o morador. Acredito que a casa passa a ter mais personalidade.

Fui aluna da Manu no Workshop de Decor. Antes do curso começar, tínhamos que escolher um cômodo para desenvolvermos o projeto. Inicialmente, pensei no quarto da minha sobrinha. Mas depois do primeiro capítulo, desisti. Seria muito difícil projetar um quarto que ficava em outro estado, tendo um prazo para entregar as minhas lições. Foi então que escolhi o canto mais problemático da minha casa: a área de serviço.

A lição mais marcante do workshop para mim foi a de conceito. Foi a lição mais descontraída, e talvez, a mais difícil também.

Aprendi que a casa de fato tem que ter a personalidade do(s) morador(es). Mas antes você tem que se conhecer. Não, não estou viajando na maionese ou pirando na batatinha, como preferir. Sério, teve momentos em que me senti no consultório de um psicanalista. Manu cutucava a gente, fazia mil perguntas. No primeiro momento pode parecer delírio, mas cá pra nós, é só pensar um pouquinho que faz todo o sentido do mundo. Como fazer a sua casa ter as suas referências se você não sabe quem ou o que você é? Como fazer a sua casa ficar do seu jeitinho, sem saber o que quer?

Eu não me divirto nem um pouco lavando roupa. E a área do jeito que estava, me remetia a hospital, toda branca e apertadinha. Ou seja, nada ajudava. Decidi que queria me sentir no campo, como se lavasse roupa num rio que corre atrás da casa da vovó, sentindo o cheiro do bolo saindo do forno. Queria apreciar aquele momento da água escorrendo pelas minhas mãos, o toque da grama sob meus pés, o cheiro do bolo… um clima bem carpe diem. Pronto, o conceito estava definido.

Já me sinto bem melhor. Os quadrinhos me trazem uma sensação de tranquilidade, de interior, do jeito que eu queria. E as cortininhas amarelo-claro escondem a bagunça e me remetem também ao clima de casa de vó, de interior.

decoracao area de servico

armario area de servico

O balde de alumínio entrou com a função de organizar o que não cabia no armário ao lado do tanque – como água sanitária, amaciante e sabão líquido. Ficou mais apertado do que já era, mas pelo menos ficou mais organizado e trouxe um clima meio campestre para o espaço. O suporte do balde são dois carretéis de fios menores, que pedi numa loja de ferramentas, é ótimo porque não preciso abaixar para pegar os produtos e minhas costas agradecem. Pensei em reformar, mas depois achei que o visual rústico combinou com o meu conceito.

decoracao area de servico

Se já está tudo pronto? Não. Ainda tenho planos de enriquecer o espaço. A janela merece atenção, bem como o espaço acima do tanque. Mas como aprendi com a própria Manu, não precisamos dar conta da decoração inteira ontem. Podemos curtir aos poucos, e isso às vezes dá até tempo de amadurecer nossos conceitos. Como eu trabalho e ainda coloco a mão na massa, aqui em casa as coisas acontecem aos poucos. No maior estilo, um passo de cada vez. Carpe Diem. O lema é aproveitar o que eu consegui fazer hoje!

Categorias: Armário, Cortina, Decoração, Inspiração, Quadro, Serviço, Sua Casa Aqui
Veja Também