Decoração, Ballet e Cinema – Cisne Negro

Postado por: Manu Mitre
19 de November de 2012

Sei que estou atrasada mas, quando o filme Cisne Negro foi lançado, todo mundo falou que era um filme pesado, intenso e assustador. Achei melhor deixar pra ver depois, afinal eu estava grávida e super sensível. Não é brincadeira, eu chorei de soluçar com Kung Fu Panda, gente. Mas resolvi assistir neste feriado e fiquei inspiradíssima. Eu não sou especialista em cinema, portanto não contem com minha opinião sobre roteiro, edição, direção ou outros aspectos técnicos. O que eu gosto é de analisar a construção de “climas”. O uso de cores, iluminação e outros inúmeros elementos que ajudam a transmitir a mensagem de cada cena, de cada momento do filme. E isso tem tudo a ver com o Casa da Id&a.

Decoração em Black Swan

Aviso aos mais atrasados do que eu e que pretendem assistir ao filme: vou lançar spoilers, falar do fim, de cenas importantes e tudo, tá?

A Companhia de Ballet

Cinzenta, fria, tensa, como grande parte dos ambientes do filme. O cenário retrata a solidão e a angústia de Nina na sua busca obsessiva pela perfeição. É o lugar em que Nina se sente pressionada, exigida, desafiada e frustrada por não conseguir interpretar o Cisne Negro com a paixão e sedução que deveria.

A casa de Nina

Obcecada pela perfeição técnica, Nina é extremamente dedicada e vive em função do ballet e de seu objetivo de ser a primeira bailarina da companhia. Sob constante supervisão de sua mãe superprotetora, uma ex-bailarina frustrada, o ballet é o centro da vida de ambas. Natural que a casa delas reflita essa realidade. A sala de estar foi transformada em uma sala de treino para Nina e espelhos estão por toda parte.

O seu quarto, todo rosa, com papel de parede de borboletas, roupas de cama em estampas femininas, móveis rebuscados, bichos de pelúcia e até caixinha de música para dormir representa, no fundo, a própria personalidade de Nina. Tratada como uma criança indefesa pela mãe superprotetora, Nina se mostra ingênua, frágil, virginal. E seu quarto reflete essa sua realidade infantil.

O Cisne Branco e o Cisne Negro

O casaco rosa de Nina a acompanha o filme todo é só mais um elemento que remete à pureza infantil da personagem: o Cisne Branco em pessoa. O figurino de Nina e Lily (sua rival) é consistente com as diferenças entre elas.

Mas, consciente de sua imagem frágil, quando ela vai pedir o papel principal ao diretor, ela usa um batom vermelho roubado de sua antecessora, uma mulher cheia de vitalidade e sensualidade. O diretor percebe a mudança na produção de Nina e a provoca, ganhando como resposta uma mordida. Um simples batom vermelho deu o primeiro sinal de que havia alguma agressividade escondida em Nina, e que ela precisava de uma oportunidade para resgatá-la. Um simples batom vermelho passou uma mensagem importantíssima. Como podemos levar essa ideia para a decoração?

O camarim e os espelhos

decoração no Cisne Negro

O uso de espelhos foi muito além de simples cenografia, eles foram úteis para construir a própria narrativa do filme. É neles que se revelam as múltiplas facetas de Nina, principalmente do seu lado Cisne Negro, e onde ocorre grande parte de suas alucinações. Achei genial a escolha do uso de espelhos para falar justamente sobre a (des)construção da auto-imagem de uma bailarina.

Adorei o filme e fiquei com vontade de assistir de novo, confesso. A única coisa que me incomodou foi o uso dos clichês de cores: rosa para o frágil feminino, cinza para a falta de vitalidade e preto para o ousado e sensual. Isso é o óbvio. Mas é possível ter uma sala rosa que não seja “menininha”, e usar o preto de uma forma delicada? Ter uma sala cinza e alegre? O que vocês acham?

Categorias: Cinza, Concreto, Cores na Decoração, Decoração, Destaques do Mês, Inspiração, Papel de Parede, Quarto, Rosa
Veja Também
  1. Dedé
    19/11/2012

    Manu!!! Adorei o post! Concordo que a seleção de cores seja óbvia, mas acho que durante o filme você não faria essa ligação se as cores não fossem tão óbvias…
    Eu amei o filme, assisti no cinema e quando acabou, minha adrenalina tava a mil e eu senti como se pudesse correr uma maratona! haha
    Beijos!

    • Manu Mitre
      Manu Mitre
      19/11/2012

      Você é bailarina, né? Eu queria ter sido e também fiquei a mil no filme, hehehe
      Concordo que a seleção de cores fez sentido pro filme, sim, mas é importante não criarmos paradigmas de que todo cinza é triste e que o rosa é de menininha ;-)

  2. Paulinha
    21/11/2012

    Adoro posts sobre decoração de cenários de filmes/séries, mas são raros. Acho q é uma boa ideia pra outros posts…

  3. martaReis
    26/11/2012

    Adorei o post, parabéns Manu!!!

    • Manu Mitre
      Manu Mitre
      26/11/2012

      Obrigada, Marta! Você andava sumida, gostei de te ver por aqui de novo ;-)

  4. Lis Comunello
    29/01/2013

    Há alguns dias respondi a pesquisa que você lançou no site e, nela, eu disse que um diferencial forte seu é seu conhecimento bem embasado, profundo e real sobre decoração. Se eu já tivesse visto este seu post (cheguei aqui pelo seu perfil no Instagram), teria usado como referência para o que eu queria dizer.

    O caso é que gostar de decoração desde a adolescência e ler sites e revistas de decoração não trazem o embasamento necessário pra falar do assunto – mas é o que mais vejo nos blogs de decoração. Sou publicitária, durante a faculdade estudei História da Arte e Cinema, então sinto falta de ver blogs que façam análises como esta que você fez sobre Cisne Negro, avaliando cores, formas, texturas e objetos para definir o “astral” de um ambiente.

    Quero decorar minha casa como quem decora cenários que transmitam a essência das personagens. Não decidi todos os detalhes do meu novo apartamento, mas uma certeza eu tenho: o hall de entrada vai ser inspirado em “A Liberdade é Azul”. =)

    Obrigada pelo seu blog, tão cheio de conteúdo de qualidade e tão bem escrito.

    • Manu Mitre
      Manu Mitre
      29/01/2013

      Obrigada pelo lindo comentário, Lis. É isso que motiva a escrever todo dia :)
      E fiquei louca pra ver como vai ficar seu hall de entrada!

  5. Lis Comunello
    30/01/2013

    Oi, Manu!

    Já quebrei o porquinho pra comprar o apartamento, também vou ter que trocar o piso e trocar o revestimento das paredes da cozinha, área de serviço e banheiro, então não vai sobrar verba pra mais nada por enquanto. Na planta o hall meio que não existe, já entra direto na sala, mas vou dar um jeito. No mínimo uma parede azul e encontrar alguém que faça um móbile como o do filme. =)

    Pretendo fazer fotos do antes, durante e depois, embora o depois vá demorar pelas restrições orçamentárias. rs… Venho te chamar pra fazer as fotos, provavelmente mandarei pro Instagram e Facebook, talvez G+ também.

    Vou continuar assídua no feed de vocês. Foi um alívio pra mim ver um blog de decoração com embasamento, sem ficar só naquilo de que isso e aquilo são bonitos e/ou tendências, receitas prontas pra ampliar ambientes e obviedades do gênero.